Páginas

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Dois Corações

 

Dois corações se quebram, se partem
Ao perceberem que juntos não mais se satisfazem
Um nota que o outra não está dando carinho como antes
O outro nota que o jeito de olhar está diferente
Os dois se calam!
Longo silêncio!

coração

Tudo continua como se nada estivesse acontecendo
Mas os corações sabem que as coisas não estão normais
Os dias passam, as noites em claro se alongam
Os pensamentos fervem e as lágrimas caem de um olhar cansado
Mas nada se resolve
Como contar?
Como mostrar o que acontece?

Um coração não bate com a mesma intensidade de antes
O outro também não
Tudo se torna confuso
O beijo se torna vazio
O abraço frio
O olhar seco
O silêncio atrapalha
A verdade e o medo incomodam
A dor, a tristeza
Como contar?


Mas este momento chegará e será duro e triste
Fazendo com que as lembranças não se apaguem jamais
E estes dois corações que durante tanto tempo juntos
Encontraram dias de intensa felicidade, agora, separados,
Encontrarão dias de intensa agonia!
E hoje nesta noite escura
Um dos corações (o meu) toma coragem pra dizer
Mas não tem força para discar o número
Prefere apagar a luz, dorme e sonha!
Acorda no meio da madrugada com a lua vagando pelo céu

dor de amor 3
Chora, chora muito este pobre coração
Vê que este sentimento não tem fim
Será apenas uma crise, uma fase, vai passar?
E neste exato momento, nesta mesma noite, o outro coração (o seu) Também chora muito, e descobre que o sentimento é eterno e intenso!

Então, esses dois corações se encontram na sinergia do aprendizado
E amanhã passarão a viver novos tempos,
E terão momentos de intensa felicidade…
Porque estes dois corações questionaram seus sentimentos
E seus desejos
Descobrindo assim o amor em uma nova forma de coexistir!

Valéria Braz

10 comentários:

LISON disse...

QUE POST FANTÁSTICO
AMIGA VALÉRIA

O Poema é belíssimo, profundo e envolve a moldura de uma partida para destinos inimagináveis.
Parabéns por mais um lindo Poema!
Parabéns por mais um lindo post!
Abraços fraternos,
LISON.

Mr.Jones disse...

se precisar de um colo...O meu ta a disposição.
bjao

Principe Encantado disse...

Muito bonito, os sentimentos afloram lendo este seu poema.
Abraços forte

João Poeta disse...

Hum... texto muito realista. oxalá que assim seja para todos os corações que se encontrem em crise semelhante.
Namastê!
João

Felipe disse...

Prima,
Gostei muito.
Beijão

Josy Nunes disse...

Oi,
Amiga,
texto intenso, profundo, triste e lindo...como disse o Diego se precisar de colo e de um ombro amigo também estou aqui!!
Beijão no seu coração e fica com Deus sempre.

Geraldo disse...

Olá Valéria,

Percebi uma doçura nas palavras para tocar em um assunto tão delicado: dois corações em desalinho..

Tuas palavras são tristes mas o arranjo soberbo...

Abraço

JORNALISMO ANTENADO disse...

Olá minha lindinha... lindíssimo poema, demonstrando o quão sensível é essa poetiza e esse coração.
Desejo profundamente que esse desalinho de corações chegue ao fim e que percebam o amor que está presente e só vale a pena procurarem ser felizes juntos em total sintonia.
Beijos no coração minha amiga.
Márcia Canêdo

arte-e-manhas-arte disse...

Olá querida Valéria!

Os corações passam por momentos difíceis, sempre a trabalhar, sem parar. Passeiam uma grande parte da da vida despreocupados e felizes, sempre a trabalhar, sempre a trabalhar. Mas são os momentos duros que mais os marcam, mas mesmo assim continuam a trabalhar, sem parar.

Muito lindo o teu poema.

Beijinhos
Luísa

P.S. Ando com as leituras muito atrasadas...

Sou Mulher ... disse...

Olá Valéria!
É assim mesmo que muitas crises são vencidas, vividas... e quando tudo pode recomeçar, quando os dois corações tem fé em seu "arranjo", tudo é crescimento, vão sorrir no futuro, vão relevar bobagens, porque, conseguiram vencer grandes batalhas.
É possível se re..apaixonar pelo mesmo coração, é só decidir e então,prestar atenção no outro, como se ele tivesse entrado "quase" agora, em nossa vida novamente...mas é preciso que o coração tenha fé,para poder estar inteiro lá,novamente.
Beijo,Vera.