Páginas

segunda-feira, 5 de abril de 2010

O Monge Mordido

o-monge-e-o-escorpiao

Um monge e seus discípulos iam por uma estrada e, quando passavam por uma ponte, viram um escorpião sendo arrastado pelas águas.

O monge correu pela margem do rio, meteu-se na água e tomou o bichinho na mão. Quando o trazia para fora do rio o escorpião o picou. Devido à dor, o monje deixou-o cair novamente no rio.

Foi então à margem, pegou um ramo de árvore, voltou outra vez a correr pela margem, entrou no rio, resgatou o escorpião e o salvou. Em seguida, juntou-se aos seus discípulos na estrada. Eles haviam assistido à cena e o receberam perplexos e penalizados.

     — Mestre, o Senhor deve estar muito doente! Por que foi salvar esse bicho ruim e venenoso? Que se afogasse! Seria um a menos! Veja como ele respondeu à sua ajuda: picou a mão que o salvava! Não merecia sua compaixão!

     O monge ouviu tranqüilamente os comentários e respondeu:

Ele agiu conforme sua natureza e eu de acordo com a minha.

Fonte: http://paxprofundis.org/livros/parabolas/parabolas.html

10 comentários:

Rycuxo disse...

Ótimo texto..
Trazendo pra vida real , bom seria se a natureza das pessoas no dia a dia fosse igual a do monge.
Mais estamos muitoo longeee disso.

Tenha uma ótima semana.

Geraldo disse...

Olá Valeria,

Esta história é muito bonita, afinal como diz, agimos conforme nossa natureza, independente de qual seja..

Abraço

arte-e-manhas-arte disse...

Olá Valéria!

Na natureza todos os seres têm uma função e só assim ela estará em equilíbrio. Os seres humanos são dotados de consciência e também têm de agir de acordo com ela.

É muito bonita esta parábola.

Beijinhos
Luísa

Mr.Jones disse...

Oi meu jardim lindo!
A natureza é sábia e sabe o que faz, como o Monge explicou.
bjs

Principe Encantado disse...

Muito bonito o texto uma grande liçao para entendermos que somos indivíduos por tanto único em nossa maneira de ser, cada um é um.
Abraços forte

Joselito disse...

Mais do que certo, tem coisas que fazem parte de nossa natureza. Uns até que mudam, outros nunca ...

LISON disse...

Que Post Fantástico!

AMIGA VALÉRIA

É natureza a manifestar-se em mundos distintos, mas sempre a estreitar os laços da sabedoria a todos os homens de boa vontade.
Parabéns por mais um lindo post!
Abraços fraternos,
LISON.

MARIA COSTA disse...

Oii minha amiga Val
Amei o texto, bem reflexivo.Serve de ensinamento, as vezes acontece comigo,as pessoas dizem que sou boba, pois as vezes algumas pessoas me fazem mal e eu só quero o bem delas se puder ainda eu ajudo, pois nao sei agir de outra maneira, pois quando fazermos o bem ganhamos em dobro.
Bjs

JORNALISMO ANTENADO disse...

Valéria Adoro esa história demosntra bem como devemos fazer pelos outros oq ue gostaríamos que fizessem por nós , não agir de acordo com o que os outros acham. Acho triste com existem pessoas que só ajudam esperando retribuição, mas com diz a história faz parte da natureza dessas esta atitude.
Beijso no coração
Márcia Canedo

Eninha Campos disse...

Olá Valéria
Estive aqui a explorar seu blog e gostei muito, parabéns :)
Tenho grande simpatia pelos ensinamentos budistas . Todos eles tem nas suas entrelinha uma sabedoria que eu desejo, quem sabe, um dia alcançar . Não custa sonhar não é? :)
abs
Eninha Campos