Páginas

segunda-feira, 26 de abril de 2010

6 Coisas que você não sabe sobre mim

Leila

Recebi da minha querida amiga Leila, do blog www.leilafranca.blogspot.com a indicação para fazer este meme, falando de 6 coisas que vocês ainda não sabem a meu respeito.

Também, como ela própria ao ser indicada, fiquei muito feliz pela lembrança, porque sei que existem muitas pessoas aqui no dihitt, mas principalmente porque eu adoro e admiro esta pessoa linda e talentosa que é a Leila Franca.

Tive muito mais alegrias que tristezas na minha vida, mas como todo ser vivo na face deste mundo, tive lá os meus percalços.

Vamos lá:

1- Sou Paulistana, nasci em uma cidade pequenininha no interior, Santa Fé do Sul…. lá onde Judas perdeu as meias (que as botas ficou beemmm antes). Lá fui batizada, e meus padrinhos tinham um belo e grande sítio.
Dos meus 4 anos até meus 10 anos aproximadamente, passei todas as férias de verão por lá. 
Meu padrinho nos (eu e meus amigos do sítio – os filhos dos funcionários) acordava as 4:30hs da manhã para tirar o leite das vacas, e depois colher milho. Ficávamos com as mãos toda machucada de colher milho, mas era uma festa. Depois de cumprida nossas  obrigações, ficavamos liberados para brincar. No sítio só tinha meninos (os filhos dos capatazes), nos divertíamos muito…. mas a brincadeira que mais me marcou era no pasto dos touros. Era um descampado enorme, gramado e  cercado, que tinha bem no meio uma árvore enorme.
Subíamos na árvore, e o desafio era:  quando o touro passasse embaixo, tínhamos que pular nele.
Só que…. obviamente não ficávamos no lombo do touro, íamos ao chão, e a diversão era fugir do touro antes de levar uma chifrada (hoje eu sei o quanto era perigoso, mas criança tem anjo da guara de de plantão). Um belo dia, meu padrinho descobriu nossa brincadeira, aí acabou-se…. levamos uma bronca danada com uma advertência que nos fez ficar longe dos touros…..kkkkkkk… coisas de padrinho bravo!

2- Neste mesmo período, morávamos em Rudge Ramos, tive uma infância livre e fui uma moleca. Vivia brincando com os moleques na rua, dava de tudo: Futebol, Polícia e Ladrão, Guerra de Mamona (nossa doia pra caramba), Taco, etc….
Nesta região, na época, próximo a minha casa tinha o Hipermercado Makro, onde meus pais iam sempre e conheciam os gerentes.
Meu irmão tinha uma espingarda de pressão, que por sinal um dia atingiu minha perna na parte interna (dói demais… e foi por maldade).
Mas, como boa moleca que era peguei a espingarda e fui com meu amigos, eu de espingarada e eles de stilingue, para o pátio da Makro….aãm?! porque?  Explico:
Vocês lembram aqueles enormes balões de propaganda que as empresas utilizavam? Pois é, era o nosso alvo!
Eu, de bermuda, camiseta, boné e uma espingarda na mão…. pimpa! acertei em cheio aquele balanzão… e ele ali devagarinho, murchando…
Claro que saímos correndo feito loucos, mas eu não sai do lugar e ainda senti alguma coisa me segurando forte pelo cangote….. Era o Gerente (amigo do meu pai), me pegou no flagra!
Levei uma baita bronca e fiquei 2 mêses de castigo sem poder ir pra rua brincar com meus amigos…. 2 mêses de tortura (se comigo ou com minha mãe eu ainda não sei!).

3- Na adolescência fui uma revolucionária, participei de grêmio estudantil, vivia intensamente a política (sabia tudo – hehehehe).
Nossa turma acabou conseguindo ficar toda junta em uma única sala, e ali aprontávamos muuuuiiiitttooo, e não havia professor que conseguisse nos “domar”.
E no colégio sempre fazíamos passeios bem divertidos. Num destes passeios, fomos para uma casa que tinha um forro onde podíamos entrar e andar por cima do telhado….
Como no dia seguinte a nossa chegada, chegaria na casa uma turma nova, que nunca tinham ido lá…. adivinha! Isso mesmo, combinamos de assustar o pessoal que iria chegar. Como sempre fui a mais miudinha da turma e sem nenhuma vergonha de aprontar, no dia seguinte fui para o forro….
Fiquei duas horas esperando eles chegarem (atrasou o ônibus)…. suava feito uma louca….mas não ia sair dali sem dar um bom susto nos “novatos”.
Chegaram por volta das 21:00hs… até tomarem banho, arrumarem as camas, conversarem, comerem….eu estava no décimo sono…. o fantasminha aqui dormiu até o outro dia pela manhã quando uma boa alma resolveu ir me chamar…..mas o detalhe é que levei um baita susto quando me chamaram, e sem querer rolei para cima de um pedaço de forro onde as tábuas estavam podres. Moral da história: Não assustei ninguém,me assustaram e ainda cai do forro  e luxei o pé!

4- Estudei piano durante 5 anos em um conservatório musical em São Paulo e depois aqui em Floripa. Tive como instrumento complementar (aquele que você aprende junto com o principal), bateria, flauta e harpa lírica
Todo final de ano fazíamos um recital… em um destes recitais, convidei um amigo de nossa familia.  Era uma daquelas pessoas que você sempre quer por perto, porque é alegre e de bem com a vida.
O único problema que ele tinha é que dormiu em qualquer lugar que ficasse parado por mais de 10 minutos.
Bom, pensei eu, ele não vai ficar parado em um recital…. doce ilusão.
Bem na hora da minha apresentação… na época tocaria “Galope do Diabo”, uma música forte, com acordes fortes….
No meio da minha apresentação, começo a ouvir um rooonc, rooonc, alto, muito alto…. exatamente….ele estava dormindo encostado no ombro da Diretora do Conservatório e roncava feito um porco sendo enforcado….. que vergonha! que Mico! Até hoje não sei como consegui chegar até o final da apresentação.

5- Nos meus 23 anos fiquei noiva, meu noivado foi decidido de um dia para o outro…. confesso que no começo era mais amada que amava… mas quando já não imaginava minha vida sem ele, foi assassinado em uma bobagem de trânsito.
Fui conhecer o assassino, que chorando muito me pediu perdão. Na época não tinha condições de perdoar, mas confesso que tive pena daquele ser humano. Hoje, não guardo mágoa alguma, e sei que começou aí a fase de maior aprendizado interior da minha história.

6- Por fim, os últimos fatos mais marcantes pra mim e que vocês não sabem, foi a morte da minha avó (que foi uma segunda mãe para mim e meus irmãos). Meu pai que faleceu em 2006 e deflagrou muitas mudanças na minha vida.
No ano seguinte e ainda desestabilizados, enfrentamos as mortes de minha tia (uma grande conselheira e amiga) e do meu irmão aos 49 anos.
Este fatos ainda tem uma importância muito forte, porque são bem recentes e ainda sofro o efeito deles. Mas ainda que sejam dolorosos, me ensinam a ter força e determinação pra continuar meu caminho, cultivando as duas coisa que mais gosto, que é rir muito de mim mesma, da vida e das loucuras que a vida vai nos trazendo!

 

Estes foram os que primeiro 6 que me vieram a mente… tenho muitos outros, alegres, tristes, simples, complexos….e com o tempo, vamos mostrando aos amigos.

 

Agora aproveito para indicar meus amigos que terei imenso prazer em saber um pouquinho mais:

Minha amiga Regina Bonelli – www.umlugaraoceu.blogspot.com

Meu amigo Fernandez – www.orsty.blogspot.com

Minha amiga Sereníssima – www.avozdapoesia.com.br

Minha amiga Edilene (aaamorrr) – www.mensagensdiversificadas.com.br

Meu amigo (primo) João Felipe – www.sempre-poucodetudo.blogspot.com

Minha amiga Josy Nunes – www.bananacomfarinha.blogspot.com

16 comentários:

* ƬℋคƬคℓyScคℓ * * Scaldelai * disse...

QUE HISTÓRIA LINDA DE SUPERAÇÃO VALÉRIA!

EU TAMBÉM PERDI A MINHA AVÓ QUE ME CRIOU... E MEU PAI EM 2005 MUITO NOVO,COM APENAS 48 ANOS...
E QUE BOM QUE PERDOOU,PORQUE QUEM GANHOU FOI VC E NÃO O ASSASSINO...

PARABÉNS PELA ESCOLHA DOS AMIGOS!

BEIJOSSSSSSSSSS..............

DEUS TE ABENÇOE.

Jack Dieguito disse...

ahhh, tenho que dizer que os itens 1 e 2 me chamaram atençao. Precisa dizer o porque?
ahahaha
bjao

Tahiana Andrade disse...

Olá... é muito bom conhecermos melhor os autores dos blogs que tanto gostamos.
O que mais me chocou foi a histório do seu noivo...


Beijos

deste-mundo-e-de-outros disse...

Valéria,

Que bom ler as tuas histórias. Eu também era revolucionária nos meus tempos de liceu! Pertencia à associação de estudantes, participava nas propostas de alterações de legislação, organizava greves, eu sei lá! rsrsrsr

Beijinhos
Luísa

eu disse...

a morte de pessoas queridas sempre marcam a nossa vida,mas eis vitoriosa ,a paz

Leila Franca disse...

Oi Valéria,

Finalmente consigo vir aqui pra comentar. Hoje tive entrega de trabalho, então de manhã foi impossível e ontem à noite dormi "sem querer", cedinho...rs

Mas adorei ler sua história, que tem algumas coincidências com a minha. Já fugi de uma boiada que descia o morro e eu fiquei atrás de uma árvore grande (não tinha galho baixo pra subir...), que medo daquele monte de boi no galope passando rente a mim.

Também fiz parte de grêmio estudantil e pintava e bordava na escola... rs

E também tinha o patio grande de um supermercado onde eu e meus amigos nos reuníamos, mas lá nossa diversão era colocar sabão em pó no chafariz...a caixa inteira...rs e depois ficava espuma voando por toda parte...rs

Mas vejo que cada um do dihitt que li suas 6 coisas que não sabia tem uma parte que é o que eu considero um período de provação. A partir dele a vida fica séria, mas a gente insiste em sorrir.

bjs

Joselito disse...

Uia .... menina, você ja viveu muito mais que muita gente, isso não quer dizer que tenha que viver mais 100 anos.

Eninha disse...

Olá Váleria ,
Bons tempos hein?! Hehehe.Muito bacana relebrar essas nossas travessuras e saber das travesseuras de vocês.
Abs,
Eninha

blogdacomentarista disse...

Oi Valéria, mas que delícia de infância você teve, menina! Adorei conhecer.

Pelo que li no final, fizemos a mesma opção, cultivar a alegria, porque as tristezas chegam, o tempo ameniza, os desafios aparecem e temos que seguir nossa trajetória mantendo acesa a chama da esperança a iluminar o nosso caminho e o daqueles que nos seguem os passos.

Bjs

Denize

Herval Candido disse...

Gosto dos seus textos. Sua história de vida é pulsante e inquieta. Você me parece alguém em busca de algo que ainda não encontrou, mas que parece-me estar bem próximo a você. Enfim, quando leio uma bela história de vida me transporto para dentro dela. Agora, saí.

Continue sua estrada, cara amiga.

Abraços, Herval

LISON disse...

QUE POST FANTÁSTICO!
AMIGA VALÉRIA BRAZ
Que bom que tive a oportunidade de conhecer um pouquinho de sua fascinante trajetória de vida. O bom é que foram muitos acontecimentos marcantes é isso em muito está ajudando a blindar o seu espírito, a sensatez se faz mais presente e a sabedoria norteia os novos rumos.
Um super Meme que contagiou, mexeu e valeu a pena conferir!
Parabéns por mais um excelente post!
Abraços,
LISON.

Fernandez disse...

Olá Valéria querida!
Foi ótimo conhecer um pouco mais da história da querida amiga.
São lembranças bem marcantes que a amiga escreveu. Fico um tanto chocado com estas violências no trânsito.
Agradeço a lembrança da amiga e vou escrever 6 coisas também.
Beijo no coração, Fernandez.

João Poeta disse...

Oi, Valéria! Que guria "levada da breca", foste na sua infância, hain?! Me diverti muito com as suas travessuras, e, descobri em você algo que temos em comum que sou músico clássico, também. Enfim, fatos tristes também existem na história de todos nós e a sua é muito comovente.
Adorei a sua história.
Um abraço.
João

Rosana Madjarof disse...

Valéria,

Adorei saber um pouco mais sobre a sua vida, e mesmo com as tristezas das separações que você sofreu, ainda assim, você teve uma infância maravilhosa, podendo desfrutar dos ares de uma fazenda, com animais e brincadeiras ótimas.

Adorei seu meme minha amiga.

Bjs.

Ro.

Sou Mulher ... disse...

Olá querida amiga Valéria!
Finalmente te encontrei aqui.
Que "levada da breca" e que delícia de infância!
Quanto aos problemas...é como eu costumava dizer oas meninos -"só diante da morte é que a gente não pode dar jeito",por isto,como a Denise diz, é sempre melhor a opçaõ de sair pela vida, guardando as alegrias nos bolsos. Depois que a tristeza passa,rir da gente mesmo,com certo carinho, é o melhor remédio.
Todos nós temos nossas batalhas!
Beijo e adorei ter vindo aqui na sua casa,ouvir você!
Carinho,
Vera.

JORNALISMO ANTENADO disse...

Minina tu foi das minhas hein, levada que só vendo.kkkkkk e moleca, junte-se a trupe minha e da Sissym que já me contou que também era terrível..kkkkkk
Quanto aos sofrimentos são eles que nos fazem crescer, amadurecer , passar a olhar a vida de formas diferentes , porque o tempo é cruel, nunca devemos esquecer que mais dia menos dia a vida nos cobra noasas atitudes.
Adorei saber um pouco mais sobre você viu! Te adoro miga.
Márcia Canêdo
Beijos no coração