Páginas

segunda-feira, 29 de março de 2010

Despedida do Amor

Existem duas dores de amor:

A primeira é quando a relação termina e a gente, seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro, com a sensação de perda, de rejeição e com a falta de perspectiva, já que ainda estamos tão embrulhados na dor que não conseguimos ver luz no fim do túnel.

dor-de-amor A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel.

A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços, a dor de virar desimportante para o ser amado. Mas, quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida: a dor de abandonar o amor que sentíamos.

A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre, sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também...

Na verdade, ficamos apegados ao amor tanto quanto à pessoa que o gerou. Muitas pessoas reclamam por não conseguir se desprender de alguém. É que, sem se darem conta, não querem se desprender. Aquele amor, mesmo não retribuído, tornou-se um souvenir, lembrança de uma época bonita que foi vivida... Passou a ser um bem de valor inestimável, é uma sensação à qual a gente se apega. Faz parte de nós. Queremos, lógicamente, voltar a ser alegres e disponíveis, mas para isso é preciso abrir mão de algo que nos foi caro por muito tempo, que de certa maneira entranhou-se na gente, e que só com muito esforço é possível alforriar.

dor de amor 3

É uma dor mais amena, quase imperceptível. Talvez, por isso, costuma durar mais do que a "dor-de-cotovelo" propriamente dita. É uma dor que nos confunde. Parece ser aquela mesma dor primeira, mas já é outra. A pessoa que nos deixou já não nos interessa mais, mas interessa o amor que sentíamos por ela, aquele amor que nos justificava como seres humanos, que nos colocava dentro das estatísticas: "Eu amo, logo existo".

Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância, mas que precisa também sair de dentro da gente...

E só então a gente poderá amar, de novo.

Martha Medeiros

14 comentários:

Leila Franca disse...

Oi Valéria,

Estou voltando a participar (só um pouquinho!) e o primeiro post que vou comentar, depois de um mês,é o seu.

Percebo que vc também fez umas mudanças. Está enviando também texto, não apenas poesia.

Sabe, eu já fiz altos "Dramas" (com D maiúsculo) por causa de amores e amores... mas enfim descobri que sou mais feliz sozinha...kkkk

Por isso há tempos que não sei o que é chorar por alguém (graças a deus!)

É bom enquanto dá certo, mas com algumas pessoas (eu, por exemplo) nunca dá. Então é melhor parar de dar soco em ponta de faca e ver o que é que dá certo e fazer exatamente isto...

bjs

LISON disse...

Que Post Fascinante!
AMIGA VARÉRIA, é uma mensagem belíssima dando adeus a um amor que partiu. Faz-se necessário acreditar no amor para ir em frente!
Parabéns pela linda e profunda mensagem!
Abraços fraternos,
LISON.

Mr.Jones disse...

entendo perfeitamente..."A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre, sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também..."
Falar é fácil, dificil é esvaziar o peito e abafar a saudade.
bjao

Josy Nunes disse...

Oi,
Valéria,
amiga não conhecia esse texto é demais!É o curso normal que segue uma separação a dor de não ter mais os beijos e afagos, a dor da lembrança dos momentos bons e por fim a dor de cotovelo que é o último estágio dessa dor de separar-se e por fim olhar e enxergar-se só e dizer:agora sim tô livre para me entregar para amar de novo pois, separar-se doí, mas amar é muito, muito gostoso... Amei o texo..beijão no seu coração e fica com Deus

Principe Encantado disse...

Mais um lindo texto da Martha e você foimuito feliz na escolha.
Abraços forte

Fernandez disse...

Olá Valéria!
Excelente crônica da Martha. Adorei o texto.
Realmente, desapegar do grupo "Eu amo, logo existo" é a parte mais difícil da superação de um amor vivido. É a ancia do homem em se apegar ao passado em vez de viver o presente e dar oportunidade ao futuro.
Gostei do texto. Paranéns!
Forte abraço, Fernandez.

arte-e-manhas-arte disse...

Pois é minha amiga, são muitas as dores deixadas pelos amores que terminam. Talvez as mais difíceis de desaparecerem sejam aquelas onde depositamos um maior apego material.

Beijinhos
Luísa

Rosana Madjarof disse...

Valéria,

Muito lindo e comovente o seu texto, mas eu diria que a maior dor do amor, ou melhor, a pior dor de um amor que partiu, é o amor de uma mãe que perde sua filha, no meu caso, e não há dor maior neste mundo.

Somente quem passou por essa dor, sabe dizer que nenhum amor carnal vale a pena nesta vida, pois nada é maior e melhor do que um amor verdadeiro de uma mãe para sua filha.

Lindo Texto!

Bjs.

Rosana.

JORNALISMO ANTENADO disse...

Oi Valéria a Marta é ótima escritora e você inspirada em escoher o texto! Amar é algo sublime, que nos leva ao céu e ao inferno se temos que esquecer este amor. A perda é sempre dolorosa, mesmo que tenhamos consciencia que foi melhor assim. Voc~e sabe bem minah opinião a este respeito né migaaa......!
Parabéns pelo post
Beijos no coração
Márcia Canêdo

Joselito disse...

Grande Valéria, quem sou eu para entender desta arte, o amor é incompreensivel em sua essencia, apesar que todos acreditam conhecer. Entretanto, quando a autora do texto se refere a dor fisica, não acredito existir, a dor é só sentimental, mental, espiritual, sei lá ... menos fisica .... podemos até acreditar em algum reflexo ... mas a dor está na mente ....

joana disse...

Valeria
Gostie muito do seu texto!...Sem amor a vida não tem sentido.
Quem parte,leva saudades,e quem fica saudades tem!
beijnhos
joana

Lilian disse...

Olá querida amiga Valéria,

Parabéns pela postagem.

O texto que escolheu é belíssimo.
Não passei por uma separação de amor para sentir a real dor, mas imagino que seja muito doloroso, e, necessariamente arrancar do peito a presença do amor/saudade para dar espaço a um novo amor.

Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Josy Nunes disse...

Oi,
Valéria,
Feliz Páscoa pra você e o Diogo muita saúde e paz e um beijão especial com sabor de chocolate no coração de vocês. Fiquem com Deus sempre.

Luisa L. disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.