Páginas

terça-feira, 1 de junho de 2010

Na Morada do seu Corpo

Na morado do seu corpo
Fiz da noite meu dia…

Na incerteza do teu olhar
Fiz do amanhecer o pôr do sol…

Nos teus passos
Fiz meu caminho errado…

Na confusão dos sonhos
Fiz minha cama de pecados…

sonhos

Na solidão de abraços
Fiz meu corpo desejar…

E no soluço de uma paixão
Fiz do amor um esperar…

Quando na ânsia de beijos
Apenas deixei a emoção amor
Me domar…

 

Valéria Braz

8 comentários:

Lilian disse...

Olá querida amiga Valéria,

Parabéns pela postagem.
Seus poemas são maravilhosos.
Beijo no seu coração.
Expulsa a solidão de seu lindo coração e deixe espaço somente para o amor entrar.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Jucifer disse...

nossa o modo
como tu manipula as palavras é estraordinario
parabens
eu queria pode escrever coisa assim
mas isso é digno a quem tem o dom
dom divino viu
aproveita isso ao maximo
compartilhando conosco sempre
beijo grande

Mr.Jones disse...

Nossa, um pescador de emoçoes tem que completar esse poema.

"Lendo esse poema repleto de ansiedade,eu fico à margem das minhas emoções, vejo as ondas baterem no quebra-mar do seu coração. Vejo a lua clamar a sua atenção. Vejo o céu negro com estrelas saltitantes na espera do desfecho.Meu violão no meu colo e meus dedos a dedilhar em busca dos seus lábios a canção para toar a cançao do desejo. Sua alma deseja fugir, de ir aos lugares das quedas d'aguas e cachoeiras, onde vai brilhar a íris dos seus olhos diante do amarelo sol."

Sabe o que é bom? Viver lá onde mora a calma e o esquecimento, onde a dor e a solidão são apenas histórias fragmentadas e contadas ao redor de uma fogueira cigana.
bjs

Jackie Freitas disse...

Oi minha querida Valéria!
Entregar o coração é assim mesmo! Um eterno amanhecer a espera do Sol a brilhar...um porto solitário esperando o seu navio atracar... E quando isso não acontece, ficamos só com a esperança de que um dia o Sol brilhe, porque ele brilha para todos, mas em seu momento certo!
Grande beijo, amiga...
Jackie

Fernandez disse...

Que lindo Valéria! Gostei muito do poema.
Muitas vezes o amor acaba mesmo nos domando... e habitando em nosso corpo. Acalenta nosso corpo e arrepia a nossa alma. ;-)
Beijo no coração, Fernandez.

Leila disse...

Valéria,

Deixar a emoção do amor te dominar talvez não seja uma boa estratégia...rs Estou brincando... Linda poesia, querida. Vc fala bem porque fala o que sente. Só assim, heim? Impossível falar de amor sem sentí-lo. Então aproveite para escrever. Estou falando isso porque também escrevi muitas poesias de amor.. enchi cadernos, depois nunca mais escrevi e acho que não vou mais escrever esse tipo de texto.

BLOG DO PROFEX disse...

Você conseguiu falar de entrega com total naturalidade. Entregar-se, doar-se, deixar que os sentimentos nos orientem e apenas curtir cada detalhe, cada segundo, cada frêmito da alma. Parabéns!

Anônimo disse...

Ηello evеryonе, it's my first visit at this site, and piece of writing is really fruitful for me, keep up posting these posts.

Here is my blog: www.sfgate.com