Páginas

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Solidão

olhos (1)

Novamente a solidão
Esta doce companheira
Que me segue calada…
Em momentos esqueço
Sua sabedoria conciliadora
Para dar vazão ao companherismo…
Mas sempre que me sinto vazia
Ela volta a me buscar
E me conta sobre as facetas do mundo…
Me fala das alegrias da compreensão
Das incertezas do amor
Da paz de sempre me saber só
Sem estar solitária…

coração

Então minhas lágrimas tristonhas
Se transformam num sorriso maroto
Onde sou novamente menina só…
Meu caminhar segue tranquilo
Por me saber senhora do meu viver
E criança no aprender…
Graças a minha solidão
Meu coração não se cansa
De sempre buscar
Um novo alguém para amar
Ou compartilhar!

Valéria Braz

13 comentários:

Sissym disse...

Na solidão não espero um novo amor mas a conciliação com minha vida e o que desejo para meu futuro.
Lindo poema, cheio de emoção!

Lilian disse...

Olá querida amiga Valéria.

Adorei sua poesia.

Mas a solidão é sempre triste, faz brotar lágrimas, faz o sorriso se fechar e o coração se calar.

Ainda bem que o seu não se cansa de buscar alguém para amar.

Beijo no seu coração.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Marcos Mariano disse...

Que lindo

feliz de quem consegue aprender
com a solidão pois a muitos que se desesperam e fazem besteiras

que lição maravilhosa
nesses versos

parabéns estou te seguindo

Josy Nunes disse...

Oi,
Valéria,
amiga,
lindo!
e olha que eu não tô sendo econômica nas palavras não! A culpa é sua que com esse poema, me deixou sem elas!
Muito Lindo mesmo. Parabéns
beijão no seu coração e fica com Deus

JORNALISMO ANTENADO disse...

Oi amiga linda!! Amei o poema, lindo e cheio de emoção. A solídão é algo que dói, é triste porém em certos momentos necessária para reencontramos nosso equilibrio.

Beijos em seu coração!
Márcia Canêdo

Sou Mulher ... disse...

Olá Valéria!
Mais um poema seu , que eu gosto muito.
Na solidão,descobri que gosto da minha companhia...gosto de ter meus momentos de solidão, e até gostaria de ter mais tempo só pra mim, pra fazer algo que quero e preciso fazer sozinha!
Só não gosto daquela solidão de buscar o outro para compartilhar, no momento que é feito para dividir alegrias, procurar apoio ou dá-lo,receber compreensão e o encontro fechado em si...esta é a solidão que machuca, quando acontece - a solidão a dois.
E há a outra, que vivenciei apenas por alguns meses, quando estive realmente só, quando morei só.É quando o desejo de carinho ou fazer amor acontece, ou quando a gente quer partilhar uma vida, e não tem ninguém ao lado. Esta machuca também, mas há um vazio,que pode ser preenchido. Ainda bem que você gosta de estar consigo mesma e que não desiste de procurar encontrar o seu amor.
Que você o encontre Valéria e que seja feliz!
Beijo,Vera.

Josy Nunes disse...

Oi,
Valéria,
amiga, tem um selinho pra você lá no meu blog,postei hoje 30/05, bjos no coração, bom domingão e fica com Deus

Jackie Freitas disse...

Minha linda Valéria!
A solidão é um momento único, uma oportunidade única... É quando nos permitimos (ou somos obrigadas) a rever a vida, fazer o balanço, reestruturar, reconstruir... A solidão sempre nos traz respostas, mesmo que com elas venham um pouco da saudade, mas ela nos mostra novas direções e perspectivas. Sempre tem algo de positivo na solidão e, quando bem administrada, não nos deixa qualquer marca de tristeza!
Avante! A vida é rápida!
Grande beijo, minha linda!Amei, como sempre.
Jackie

Silvana Marmo disse...

Olá amiga,
Gostaria de comentar citando uma diva
"Minha alma tem o peso da luz. Tem o peso da música. Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita. Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade. Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência. E a lágrima que não se chorou. Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros." (Clarice Lispector)
Boa semana

Tahiana Andrade disse...

Gosto da solidão... de vivê-la e de poetiza-la. Voce, todavia, o fez magnificamente bem!
Parabens!


Beijos

Joselito disse...

Nem sempre está só é estar sózinho, mas, nem sempre ajuda ou não.

Fernandez disse...

Olá Valéria querida!
Que poema lindo e emocionante. Adoro teus poemas minha amiga, pois você consegue expressar sentimentos profundos de uma forma que acho maravilhosa.
Acredito que a solidão, mesmo quando arde no peito, nos ajuda a refletir sobre a vida.
Beijo no coração, Fernandez.

Mr.Jones disse...

pelo que te sinto, a solidão deu adeus, e deixou uma força incomparável nos seus braços.
concorda?
:-)
bjao