Páginas

terça-feira, 1 de junho de 2010

Quase


Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase.
É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou. Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.

71Primavera

Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cór, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz. A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza. O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.

flores59zr4

Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém,preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer. Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

Sarah Westphal

13 comentários:

Lilian disse...

Olá querida amiga Valéria,

Parabéns pela postagem.
O texto escolhido é magnífico!
A beleza das fotos torna o post mais terno.
Beijo no seu coração.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Professora Ismaelita disse...

nossa grande Sarah,excelente artigo eu que sei vivo muito o quase ..quase passei em um concurso ,quase assumi um cargo e mais..mas continuo lutando isto que importa,a paz

Sérgio disse...

Grandes verdades. Mas um quase sempre pode trazer a vontade de continuar tentando.

Um forte abraço!

Sou Mulher ... disse...

Nossa Valéria!
Este texto, quase me arrasou!porque, logo agora que, ao olhar no espelho eu ando me perguntando, já que o tempo passou e não volta mais...:
"- Será que foi tão heróico e terno assim, eu continuar acreditando? insistindo em ser feliz com a mesma pessoa, se ela não se dava conta do diálogo? da necessidade mútua? Será que o amor me cegou a este ponto, de eu jamais desistir, mesmo só hoje sabendo, só hoje, que não adiantaria muito, pois as diferenças pra ele, são coisas boas, e pra mim, são "osso duro de roer"?!"
Tantas perguntas, não é, querida amiga? este texto coloca em tão lindas palavras, uma realidade não tão bonita assim...
O quase deixa muito triste mesmo. Mas o pior é que me percebo uma sobrevivente e... não tenho coragem de desistir por completo ainda, porque sou apaixonada pelo próprio sentimento de amor e, como me disse um amigo a pouco, pelo respeito.
O desejo por amor, e pela simples existência de momentos de cumplicidade ao mesmo tempo que me consomem, ainda me dão vida!! Que contradição, não é? É a vida, com seus opostos...
Beijo querida amiga.

Joselito disse...

Grande Valéria, o quase faz parte de tudo, agora existem os "quases e os quases". Acho que quando existe boa vontade, verdade naquilo que faz, não importa se quase conseguiu, a frustração é grande, porém, o mais importante é não desisitir ...

Fernandez disse...

Texto muito interessante Valéria. Faz refletir bastante.
Acredito que o quase pode mesmo derrubar e desmotivar, mas também pode ser a fonte de inspiração para se tentar de novo.
Depende de como o encaramos. ;-)
Beijo no coração, Fernandez.

Mr.Jones disse...

Li e curti esse texto.
bjao

Mr.Jones disse...

Li e curti esse texto.
bjao

terezab disse...

Gostei muito do texto, e as figuras são lindas.
valeu!
abraço

Jackie Freitas disse...

Amiga, linda!!!
Que fascínio esse texto!!! Amei, de verdade, amei! Quanta verdade contida nele...amiga, precisamos ler, reler, descobrir novas escritas, leis, palavras que nos façam acreditar...que nos tragam esperanças (ou conformismo)...que nos expliquem o que nem mesmo nossa experiência consegue, né?
Beijos, maravilhosa...gosto muito de ti!
Jackie

Silvana Marmo disse...

Olá Valéria,
Lindo texto e muito profundo, nada pior que um quase amor, quase...
Parabéns
Meu carinho

Leila disse...

Oi Valéria,

Vim te fazer uma visita conforme prometi. Ler esse texto pra mim foi muito interessante porque eu acredito que toda vez que temos uma pergunta interior encontramos nossas respostas no mundo, aqui e ali. Não sei quem as fornece.Ainda ontem fui numa locadora e não sei porque, enquanto esperava olhei pra cima e vi uma folhinha, um calendário bem grande e havia escrito com letras enormes "Seja o senhor do seu destino". Hoje venho aqui e vc vê que o texto se encerra contendo as palavras: "Desconfie do destino e acredite em você", que basicamente quer dizer a mesma coisa que eu li no calendário. Interessante isso, não é?

AmoJoias disse...

Olá! querida! ai quanta coisa linda, mas esta em especial alem de maravilhosa foi impressa, pois me inspirou muito! Pois é sempre bom lembrar do hoje, do agora e perceber cada instante que vivemos!
bjinhusss