Páginas

sábado, 23 de outubro de 2010

Hoje eu preciso


Preciso  soltar as amarras
E encontrar no peito a garra de recomeçar....
Preciso voar, viajar até as estrelas
Descobrir o prazer de sonhar
E a ternura de buscar...
Preciso de um papo cabeça, de um  papo bobo...
Jogar conversa fora e relaxar...
Preciso ver o nascer e o por do sol e voltar a sonhar
Andar descalça na terra e acreditar que tudo vai dar certo...
Preciso de um banho de cachoeira, do sal do mar e fazer amor
Do silêncio, do conforto de um ombro, me fortalecer....


Preciso de guerra de traveseiro, ver um filme, comer pipoca
Rir, de mim, do outro, da situação...
Preciso jogar pedra na água, fazer guerra com a mangueira...
Ser menos adulta, mais moleca, menos mulher, mais pessoa....
Preciso de apoio, conforto
De coisas simples, num dia atoa, me reencontrar..
Preciso construir uma ponte sólida, vencer as diferenças e voltar a amar....

Hoje preciso de mim!

Valéria Braz



Fonte das fotos : Google imagens

10 comentários:

Mr.Jones disse...

Valéria,

fiz algo ontem parecido um pouco com seu texto. Saí de perto de gente com assunto estressante (trabalho) e fui pra perto de uns guris que estavam jogando bolinha de gude, fazia um seculo que nao via cena assim de criança brincando depois da era virtual. ahahaha

Faço essas coisas ae, e pouco me importa se vao me chamar de tolo.
:)

Adorei!
bjs

Jackie Freitas disse...

Olá Valéria!
Muito bela a mensagem e o que posso desejar, de coração, é que você se encontre e viva todos esses momentos... Com certeza o seu "eu" está aí à sua disposição, esperando você precisar dele e ser feliz!
Grande beijo,
Jackie

Samanta disse...

Valéria querida !!

Que texto lindo !
deu vontade de sair por aí fazendo travessuras e gostosuras !
Ser livre, gargalhar, amar, viver, sonhar !!
Inspirador amiga !
Faça isso !
Todos nós precisamos...

Um enorme beijo e obrigada pela leitura maravilhosa, fiquei feliz !

Sissym disse...

Tudo que vc escreve é profundo.

Val, não se preocupe com as amarras, eu e Diego podemos dar um jeito nisso: enquanto ele lhe faz cosquinhas, eu solto as suas mãos. Depois podemos fazer bagunça, sem esquecer de levar todas as crianças juntas.... para elas arregalarem seus olhinhos ao perceberem que somos capazes de rir com prazer tanto quanto elas.

Pithan Pilchas disse...

Buenas,

gostei muito da poesia eda mensagem que ela traz.

Bju

Paulo

Mundo das Poesias disse...

Olá, gostei muito do seu Blog, gostaria de fazer parceria, já coloquei seu Link no Mundo das Poesias e gostaria de pedir para que colocasse o Banner ou o Link do Mundo das Poesias em seu Blog.

Um Grande Abraço e Parabéns pelo Blog;
Lauro Daniel - Mundo das Poesias http://mundo-das-poesias.blogspot.com

Jucifer disse...

ola coisinha mais coisadinha
q delicia de palavras
as vezes precisamos simplesmente de nos mesmo
sorrir, gritar se divertir
buscar em nos nos mesmo a cada momento
ameiiiii minha rica

beijaço neste coração maravilhoso

Leila Franca disse...

Oi Valéria,

Isso tudo é energia. É alegria, é vida. Uma coisa que eu faço pra me dar essa "injeção" de vida é largar tudo que estou fazendo e ir no quintal pegar uma vassoura e começar a varrer as folhas... daqui a pouco já estou mexendo na terra, achando uma teia de aranha, um ninho de passarinho, e quando vejo já está escurecendo e estou feliz da vida.

Sou Mulher ... disse...

Querida amiga Valéria!
Lindíssimo o que escreveu! Bem próximo ao que ando sentindo!
Beijos e um bom domingo pra você!
Vera.

Artigos & Crônicas disse...

Olá Valeria,
Lindo poema, que retrata muito bem nossa vontade interior de muitas veses deixar um pouco de lado nossa responsabilidade de mulher e matarmos a saudade de ser um pouco criança.
Gostei!
Abraços.
Sonia Costa