Páginas

sábado, 4 de setembro de 2010

A cobra e o vaga-lume

                  Na floresta, todos os animais temiam a cobra. Quando ela passava, os bichos se esquivavam para não aborrecê-la.

                 Um certo dia apareceu por aquelas bandas, um vaga-lume que, alegremente, fazia a festa na floresta, com seu brilho. Os animais faziam questão de prestigiar as aparições noturnas do vaga-lume, pois, enquanto olhavam para ele, esqueciam as preocupações de sobrevivência do dia seguinte. Só a cobra não estava gostando daquilo.
                Cada dia que passava, ela ficava mais irritada com o sucesso que o vaga-lume fazia entre os bichos e, por isso, resolveu que iria comê-lo. Arquitetou vários planos para pegar o vaga-lume e nada dava certo.
                O vaga-lume por sua vez, não entendia porque a cobra vivia querendo devorá-lo, pois, pequeno do jeito que era, nem ao menos servia como aperitivo.
                Mas, num fatídico dia, o vaga-lume fica frente a frente com a cobra, sem condições de escapar.                     Desesperado, antes de morrer, resolve indagá-la: "-Dona cobra, eu não lhe fiz mal algum. Não sirvo para alimento, pois sou bastante pequeno. Por que a senhora quer me comer?" A cobra olha fixamente para o vaga-lume e diz:       "-É que eu odeio ver você brilhar!".





Quantas pessoas passam em nossa vida querendo afuscar nosso brilho? E quantas vezes nos vimos a frente delas indefesas e sem entender o porque?
Que possamos brilhar sem nos incomodarmos com o brilho de outras....
E para aqueles que não conseguem viver vendo o briho dos outros:
"Se sua estrela não brilhe, não procure apagar o brilho da minha!"

Fonte: Histórias e Fábulas - Albigenor e Rose Militão

11 comentários:

Guria Faceira disse...

Flor Valéria
bah tchÊ simplesmente demais
infelizmente para algumas pessoas
ver a outra brilhar é um grande desprazer,
mas são pessoas pequenas q naum são capazes de fazer sua estrelinha brilhar e se acham no direito de tentar cobrir ou apagar o brilho alheio
fato é q vão passar por nossas vidas muitas e muitas "cobras" mas como equilibrio vão passar pessoas q nos cativam a cada dia brilhar mais!

linda fabula
bjão guria flor Valéria

Sissym disse...

Valeria, esta fabula é pura verdade. Quantas cobras estão soltas e irritadas porque não suportam a alegria dos outros!

Bjs

Mari Costa disse...

Oii Val querida

Adorei a historia, e é bem reflexiva e muito bom para o campo profissional.Devido a competitividade ser tão grande, as pessoas ao invés de procurar brilhar por si, nao conseguem e preferem ofuscar o brilho dos outros.Acho que a nossa constelação é enorme e tem espaço suficiente para todos brilharem, é só ter esforço e competência para ter brilho próprio.

Bjs no coração

Mr.Jones disse...

É isso aí.
a pior coisa do mundo é ter que lidar com pessoas assim "invejosas" que tentam apagar o brilho da gente.
bjs

Joselito disse...

Grande Valéria, pode ser, mas, tem pessoas que tem um brilho tão grande que nada vai ofuscar ...

Histórias & Estórias disse...

Quem tem brilho próprio nada pode apagar! Nem uma cobra com toda sua malícia e maldade. Ela vai tentar, tentar, tentar até morrer pelo seu próprio veneno; verde e ensebada.

Bjs

Valéria

Carlos Roberto de Oliveira disse...

Esse é um dos grandes dramas da alma humana: conviver com o brilho do semelhante.

Quando alguém se destaca, há sempre um comentário pejorativo, depreciativo.

O ser humano deveria aprender a acender sua luz, sem tentar apagar a do seu vizinho!

Bela postagem!

Um abração...

-*Vera Luz*- disse...

Olá Valéria!!

Essa estória nos revela a vida como nos dias atuais, e porque não procurar fazer com que cada um se ocupe com seu brilho, ao passo que quando nos ocupamos com nosso próprio brilho, o brilho dos outros só colaboram para iluminar nosso mundo! Tornando assim um mundo maravilhoso e iluminado!

Um abraço,
"Todo o Conhecimento é Luz que Inspira a Alma" -*Vera Luz*-

Jackie Freitas disse...

Olá querida poetisa!
Desculpe-me pelo atraso, mas estava "marcha lenta", aliás muito lenta, quase parando esses dias!
Amiga, honestamente eu não dou muita trela para isso, não! Acho que quem tem personalidade e caráter, naturalmente tem a sua luz e ela é tão intensa e própria que mesmo os outros se esforçando para ofuscá-la, conseguem ainda mais destacá-la.Mesmo para aqueles que tentam se beneficiar da luz alheia, ainda assim, quem tem a sua, não se incomoda, afinal a intensidade é tão grande e forte que dá para dar uma carona aos "sugadores" de luz!
O negócio é ter humildade, minha amiga...com isso aí, não tem erro!
Muita luz a todos!
Grande beijo,
Jackie

LISON COSTA disse...

Que Post Fantástico!
Amiga Valéria:
Esta fabula é um fiel retrato da realidade vivenciada diariamente por milhões de pessoas. Infelizmente precisamos fazer malabarismos para não sermos prejudicados pelos filhos dos serpentários.
Parabéns por mais um magnífico Post!
Abraços,
LISON.

Luma Rosa disse...

Tem uma fábula parecida com essa no livro "O mundo de Sofia", mas os bichos são a Centopéia e a Tartaruga. Já postei essa fábula e se te interessar passo o link.
Gratuitamente pessoas assumem posições de competitividade sem que necessariamente tenha alguma coisa na disputa, pelo simples prazer de competir! Muito triste viver neste mundo estressado!! Beijus,